"

Imprensa

Estudo identifica pessoas assintomáticas com maior risco cardíaco

Estudo identifica pessoas assintomáticas com maior risco cardíaco

Durante o ano de 2001, pesquisadores avaliaram 566 indivíduos sem sintomas de doença cardíaca (assintomáticos), os quais foram submetidos ao teste ergométrico (TE) e a tomografia computadorizada do coração, com objetivo de avaliar a presença de cálcio coronariano (CC). A quantificação do CC, conhecida com escore de cálcio coronariano, apresenta uma relação direta com a presença de aterosclerose (obstruções das artérias do coração por placas de gordura), a principal causa do infarto do miocárdio (ataque cardíaco). Um TE anormal esteve presente em 71 pacientes (12,5%) e a presença de CC em 286 (50,5%). Durante um seguimento médio de 6 anos, um total 35 pacientes apresentaram um primeiro evento coronariano (infarto do miocárdio, por exemplo). Naqueles sem CC, a taxa de eventos foi extremamente baixa (1,4%), independentemente do resultado do TE. Nos portadores de CC e TE anormal, a taxa de eventos foi a mais elevada (33%). O risco relativo ajustado de evento coronariano nos portadores de CC com TE anormal foi 5 vezes maior quando comparado com os que apresentaram CC e TE normal. Os autores sugerem que nos indivíduos assintomáticos com CC a realização de um TE ajuda a melhorar a estratificação de risco de infarto do miocárdio, já nos sem CC, a realização de um TE apresenta um menor valor. A identificação precoce de indivíduos assintomáticos sob risco de eventos coronarianos é uma preocupação de todo médico cardiologista, no entanto, essa estratégia de investigação proposta pelo estudo precisa ser confirmada por novas pesquisas que envolvam um maior número de pacientes.

Fonte: http://portaldocoracao.uol.com.br/cardiologia-preventiva/estudo-identifica-pessoas-assintomaticas-com-maior-risco-cardiaco

Voltar Próxima